[ editar artigo]

Licença Maternidade para mães de prematuros pode chegar à 1 ano

Licença Maternidade para mães de prematuros pode chegar à 1 ano

 

Foi aprovado no dia (09/12/15) pelo plenário do Senado, uma Proposta de Emenda à Constituição que determina o aumento do período de licença maternidade para mães de bebês prematuros.

O texto que precisa ser analisado ainda pela Câmara dos Deputados, estende o período de licença-maternidade pelo período em que o recém-nascido prematuro permanecer internado, ou seja o tempo de licença passa a ser contado após a alta do bebê.

Na proposta inicial do senador Aécio Neves (PSDB-MG), não havia limites para o período da licença, mas após negociação com o governo ficou estabelecido o prazo limite de 1 ano. Sendo assim, ficou determinado que o período máximo de internação para ser contado a licença é de 8 meses que somados aos 4 de licença chegam a 12 meses.

“A partir da aprovação dessa emenda à Constituição, a licença-maternidade para mães de filhos pré-maturos só passa a contar após a alta daquela criança, mas o tempo de internação será limitado a um máximo de 8 meses. SEndo assim, o tempo de internação, atendendo a uma demanda do governo, para que pudéssemos votar por unanimidade, terá um limite de 8 meses. Somado aos 4 meses, [...] o prazo máximo dessa licença, nos casos obviamente mais graves, de filhos pré-maturos, seria, portanto, de 12 meses”, disse Aécio no plenário.

Hoje, as mães de prematuros têm os mesmos direitos que as mães que tem os seus filhos nascidos após as 37 semanas de gestação, a proposta é assegurar que o prazo convencional da licença que é de 120 dias comece a ser contado somente após o bebê ter sua alta hospitalar, uma vez que existe todo um cuidado especial com bebês prematuros.

Comunidade Materna
Comunidade Materna
Comunidade Materna Seguir

Redação Comunidade Materna

Ler conteúdo completo
Indicados para você