[ editar artigo]

Ultrassom Morfológico, por que é tão importante?

Ultrassom Morfológico, por que é tão importante?

Se você vai ser mamãe, ou já passou por uma gestação, sabe que muitos exames serão realizados durante o acompanhamento pré-natal, não é mesmo? Dentre eles, um exame importante é o Ultrassom Morfológico realizado no primeiro e segundo trimestre. Mas, você sabe qual a diferença entre a Ultrassonografia Obstétrica e Ultrassonografia Morfológica Fetal?

Vamos conversar um pouco mais sobre o assunto.

Qual a diferença do Ultrassom Normal?

Realizado preferencialmente por um profissional especializado em medicina fetal, este exame também é realizado com equipamentos específicos, e através dele é observada e avaliada de forma mais completa a anatomia do bebê bem como sua formação. Ela vai mostrar com detalhes os órgãos internos do bebê, e como está indo o seu desenvolvimento.

Algumas diferenças do ultrassom comum para o ultrassom morfológico (visto que seu objetivo é a avaliação detalhada da anatomia fetal e marcadores para doenças genéticas, biometria fetal complementar e descrição detalhada de toda morfologia fetal) são:

  • Equipamento diferenciado (ultrassom de alta resolução)

  • Profissional especializado em medicina fetal

  • Maior duração do xxame (até 40 minutos)

  • Laudo descritivo

  • Documentação com até 30 imagens (no comum são até 8 normalmente)
     

Com quantas semanas devo fazer o ultrassom morfológico?

O ideal é entre 11 a 14 semanas e de 20 a 24 semanas, são momentos mais propícios durante a gestação para a melhor visibilidade no exame.

 

Por que o Ultrassom Morfológico é tão importante? 

Estudos realizados nos Estados Unidos demonstraram que grandes anormalidades estruturais podem ser diagnosticadas muito cedo na gravidez através do Ultrassom Morfológico, justamente por esta visão em detalhes, é possível detectar se há algum tipo de problema nos órgãos, nas veias, artérias e até mesmo nos ossos do bebê.

Detectando problemas precocemente, o final da gravidez torna-se mais seguro, com custos econômicos e emocionais diminuídos, pois os pais podem ser orientados adequadamente a partir do momento em que o bebê é diagnosticado.

Quais doenças são identificadas?

Nem toda anomalia ou síndrome pode ser detectada no Ultrassom Morfológico, mas alguns problemas que têm entre 60 e 99% de chances de ser percebidos no exame são:

  • Ausência de formação do topo da calota craniana e parte do cérebro (anencefalia 99%)

  • Ossos faltando ou encurtados (90%)

  • Defeito de fechamento da coluna (90%)

  • Ausência ou malformação nos rins (85%)

  • Síndrome de Down (80%)

  • Excesso de líquido no cérebro (Hidrocefalia 60%)

Translucência Nucal

É o exame específico realizado durante o ultrassom morfológico para calcular o risco do bebê apresentar alguma malformação ou síndrome, nele é medida a quantidade de líquido na região da nuca do bebê, pois quando há risco do bebê ter alguma síndrome, há líquido acumulado nesta região.Ou seja, a medida da translucência nucal acima de 2,5mm pode significar alguma alteração no desenvolvimento.

Ultrassom Morfológico, um momento especial ❤

Sim, sabendo tudo o que envolve e tudo o que pode ser visto neste exame, acaba parecendo um momento tenso, mas não vamos esquecer que é no momento deste exame que além de algumas vezes poder ser visto o sexo do bebê (tem grandes chances!), você poderá ver cada dedinho, poderá observar seu bebê de forma muito clara e muitas mamães são presenteadas com movimentos fofos como se fosse um “olá” de seu bebê com a mãozinha, o bebê chupando o dedo ou até o que parece um sorrisinho! Então aproveite este momento especial.

Comunidade Materna
Comunidade Materna
Comunidade Materna Seguir

Redação Comunidade Materna

Ler conteúdo completo
Indicados para você