[ editar artigo]

Trombofilia na gravidez

Trombofilia na gravidez

Você já ouviu falar da trombofilia? Sabe quais os perigos da trombofilia na Gravidez? Quais são causas, sinais e sintomas da trombofilia?

Vamos conversar sobre o assunto, pois é importante para o nosso cuidado durante a gestação.

A trombofilia é uma condição genética, quem tem trombofilia é propenso a desenvolver coágulos devido à circulação reduzida de sangue, o que na maioria das vezes ocorre nos membros inferiores e pode levar à trombose. Resumindo de um jeito simples: As enzimas da coagulação deixam de funcionar corretamente e o sangue fica “grosso”.

Durante a gravidez a trombofilia pode obstruir os vasos da placenta e do útero, nesse caso o sangue não chegaria na quantidade adequada até o bebê, reduzindo também os nutrientes que chegam até ele. Outro cuidado a ser tomado é com o desenvolvimento de hipertensão devido à trombofilia o que também é perigoso durante a gestação.

Causas da trombofilia:

Não existe apenas uma causa, na verdade elas podem ser divididas em hereditárias e adquiridas. Quando acontece por conta de fatores genéticos a trombofilia é considerada hereditária, já quando ocorre o aumento da coagulação do sangue por causa de cirurgias, reposição hormonal ou por conta da própria gravidez então a trombofilia é considerada hereditária. A Síndrome adquirida costuma ser mais agressiva.

Alguns fatores podem ser agravantes no quadro de trombofilia, são eles:

  • Desidratação(pois engrossa o sangue)

  • Uso de cigarro e outras drogas

  • Excesso de peso (pois aumenta o risco de trombose)

  • Idade mais avançada da mulher

  • Gestação de múltiplos (pois produz mais fatores de coagulação)

Toda mulher deve fazer o teste para diagnóstico de trombofilia?

Não há necessidade de toda mulher realizar o teste, até mesmo porque constatar a propensão à trombofilia, não significa que a mulher vá de fato desenvolvê-la.

É normalmente recomendado que procurem um diagnóstico antes de engravidarem ou que façam a investigação ao descobrirem a gravidez nos casos das mulheres:

  • acima dos 35 anos, 

  • com IMC acima de 30, 

  • fumantes, 

  • com histórico familiar de trombofilia descoberta na gestação ou casos de trombose na família,

  • mulheres com mais de três abortos espontâneos 

O teste é feito por meio de um exame de sangue que investiga as mutações genéticas que têm relação com a coagulação sanguínea.

Sinais e Sintomas da trombofilia

Infelizmente em muitos casos a trombofilia é assintomática, as suspeitas ocorrem também quando a mulher tem perdas gestacionais repetidas e muitas vezes a trombofilia só é confirmada após o parto, mas fique atenta aos seguintes sinais:

  • Barriga crescer pouco (pois pode ser que o bebê não esteja se desenvolvendo como esperado)

  • Inchaço repentino 

  • Pré eclâmpsia antes de 32 semanas da gravidez

E aos seguintes sintomas:

  • Inchaço em apenas uma das pernas

  • Dor nas pernas independente da posição e se está se movimentando

  • Temperatura elevada e tom azulado (ou pálido) na região inchada

  • Veias superficiais dilatadas

Como é o tratamento da trombofilia? 

O tratamento da trombofilia acontece com o uso de anticoagulantes (injeções de enoxaparina) e muitas vezes ele continua até seis semanas após o parto. Há casos em que foi realizado o tratamento com aspirina, porém é um pouco polêmico, pois tal medicamento é contra indicado por oferecer riscos ao bebê.

Conhecimento é importante, mas a preocupação não ajuda e ainda prejudica o bebê, então nossa dica tanto para gestantes como para as tentantes é: cuidar da sua saúde! Hidrate-se, faça exercícios físicos (mas não esforço demasiado), alimente-se bem e converse sempre com seu médico.

 

Comunidade Materna
Comunidade Materna
Comunidade Materna Seguir

Redação Comunidade Materna

Ler matéria completa
Indicados para você