[ editar artigo]

Ingurgitamento mamário ou leite empedrado

Ingurgitamento mamário ou leite empedrado

Você já ouviu falar em ingurgitamento mamário? Sabia que existem dois tipos diferentes deste problema? Vamos falar um pouco sobre o assunto e sobre as dicas para tratar o problema da melhor forma.

O que é o ingurgitamento mamário?

Também conhecido como “leite empedrado”, o ingurgitamento mamário é uma condição, geralmente temporária, que provoca a sensação de empedramento e seios muito cheios, é muito desconfortável, causando muita dor. Ele também pode ocorrer em apenas um dos seios. A situação de ingurgitamento mamário acontece devido ao acúmulo do leite nas mamas e pelo fato do leite acumulado tornar-se mais viscoso que o normal, por conta disso os sintomas nas mamas são de dor, vermelhidão, tensão, calor e a pele brilhante.

Leia também: Massagem para melhorar a amamentação

Tipos de ingurgitamento mamário

Podem ainda ocorrer ingurgitamento mamário fisiológico e ingurgitamento mamário patológico. Sendo que o fisiológico é o que acontece nos primeiros dias após o nascimento do bebê, uma vez que seu organismo está se adaptando.

Vale lembrar que, além da maior quantidade de leite, há ainda a mudança vascular com maior fluxo de sangue e de líquido linfático nas mamas. Por isso a sensação desconfortável. Mas os casos de ingurgitamento fisiológico normalmente duram entre 24 e 48 horas, e naturalmente o quadro se normaliza.

O ingurgitamento mamário também dificulta a “pega” do bebê, pois os bicos dos seios ficam muito planos (achatados) por causa da grande quantidade de leite, e se o bebê não conseguir mamar, mais leite se acumula e o quadro se agrava.

Já os casos de ingurgitamento mamário patológico podem ocorrer durante períodos diversificados da fase de amamentação. O leite normalmente não sai com facilidade, a mama fica muito distendida, o que causa um grande desconforto e até mesmo febre e mal estar.

Por que acontece o ingurgitamento mamário?

Além das mudanças fisiológicas mencionadas anteriormente, uma causa comum do ingurgitamento, é o bebê não estar mamando na frequência de pelo menos oito vezes a cada 24 horas. Quando a quantidade de vezes que o bebê mama é diminuída, quando por exemplo, começa a ingerir outros alimentos ou está doente, também pode ocorrer um quadro de ingurgitamento. Outros motivos podem ser: o atraso no início da amamentação, o uso da técnica incorreta, uso de suplementos e sucção ineficaz do bebê.

Leia também: Dicas para preparar os seios para a amamentação

Dicas para tratar o problema

Sem dúvidas é um quadro muito desconfortável para as mamães, e claro, também para o bebê, que sente tudo, então, como tratar da melhor forma?

Vamos às nossas dicas!

1- Faça massagens delicadas nas mamas com movimentos circulares, o estímulo é importante e ajuda a fluir o leite viscoso.

2- Antes de amamentar, você pode retirar um pouco do leite acumulado, a quantidade que precisar para que a mama fique mais acessível ao bebê.

3- Amamente com frequência, é o melhor remédio!

4- Compressas mornas antes da amamentação, ajudam na fluidez e liberação do leite.

5- Compressas frias após a amamentação também ajudam a diminuir o desconforto.

 

Comunidade Materna
Comunidade Materna
Comunidade Materna Seguir

Redação Comunidade Materna

Ler matéria completa
Indicados para você