[ editar artigo]

Exposição das crianças Youtubers Mirins

Exposição das crianças Youtubers Mirins

 

No final do mês passado, o agito foi grande na internet por conta da história de uma YouTuber Mirim que sofria abuso psicológico e exposição ao ridículo. No entanto, muito temos a pensar além de discutir um caso que esta em pauta no momento, você já parou para pensar em tudo o que envolve a vida de uma criança que tem esta tamanha exposição nas redes sociais? Quais são as consequências emocionais que tem uma criança com a responsabilidade de manter seus milhares de seguidores entretidos? Quantas crianças estão fazendo um trabalho como esse
para tentar ganhar a aprovação de uma mãe narcisista?

Exposição X Saúde Emocional


A primeira coisa que precisamos refletir, é a respeito da saúde emocional de nossas crianças. Sim, é parte da moda do momento ter um canal no youtube, e também é o sonho de algumas crianças ter muitos seguidores ou fazer vídeos que viralizem, e as crianças de fato se divertem fazendo vídeos sobre suas coisas.

Porém o que acontece é que depois de o canal se tornar uma fonte de renda, a pressão aumenta, é necessário manter um ritmo, manter os seguidores “felizes” e para isso, começam a ser desenvolvidos os roteiros. E então o canal, que antes era uma diversão, passa a ser uma obrigação.

O segundo ponto é que vem os comentários, tem gente que gosta, outros não, e os
comentários negativos começam a chegar. Sabemos que o discurso de ódio encontrou o seu lugar na internet, e muitas pessoas aproveitam para desabafar sua frustração e raiva nos comentários de todo tipo de postagem, inclusive dos vídeos.

Quem viu o filme “Wi-fi Ralph” deve lembrar da cena onde o personagem literalmente “entra” nos comentários dos seus vídeos. A cena ilustra muito bem o que isso pode fazer com as nossas emoções. Lembrando que, quanto mais nova, menos recursos a criança possui para lidar com a frustração dos comentários negativos, pois assim como mencionamos no artigo “Como as crianças demonstram suas emoções”, elas ainda estão aprendendo a lidar com seus sentimentos e a expressá-los, e sendo assim, muitas vezes não conseguem gerenciar as
emoções quando são confrontadas, expostas ou criticadas.

O terceiro perigo para a saúde emocional da criança é a postura da família em relação aos vídeos. Quando fazer os vídeos começa a afetar a relação familiar, é hora de acender a luz de alerta e rever o que realmente importa, algumas perguntas podem ajudar nesta avaliação:

  • Qual a nossa real motivação para fazer os vídeos?
  • Qual a atitude do meu filho (filha) quando vamos gravar?
  • A criança está sendo exposta a algum risco físico? Se sim, vale a pena arriscar?
  • Depois que começamos os vídeos, temos brigado mais? Sinto que nos afastamos?

São apenas algumas perguntas para dar um norte, mas a ideia geral é a de se perguntar se seu filho ou filha parece estar infeliz. Dinheiro nenhum no mundo, nem os milhares de seguidores serão capazes de reparar os danos da perda da infância ou de uma família destruída por causa da exposição excessiva.

O que não pode ter num vídeo de Youtuber Mirim?


Normalmente não seria necessário nem mencionar, mas por conta de tantas crianças que hoje trabalham como Youtubers Mirins, vale lembrar que algumas coisas não são divertidas e se para muitos parece divertido, é porque estamos doentes e gostamos de ver nosso próximo sofrendo, mas elas atentam contra os direitos humanos básicos e também contra os direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente, então vamos relembrar: Não é divertido ver o outro chorar por um dia mal, não é divertido assistir uma pessoa passando mal e não prestar socorro, não é divertido assistir à agressão física (e nenhum outro tipo de agressão), não é divertido assistir alguém sendo humilhado. Se você vir alguma dessas coisas acontecendo em um vídeo PRECISA DENUNCIAR!

Necessidade de aprovação X Mãe Narcisista


As crianças tem naturalmente uma necessidade de serem aprovadas pelos pais, quando uma mãe compete com a filha, por exemplo, ela está gerando uma ferida emocional que mais tarde se manifestará através de uma máscara, quanto mais profunda for esta ferida, mais esta criança terá problemas no futuro.

Uma mãe narcisista, normalmente é a que compete com a filha, que coloca um filho contra o outro elogiando sempre um deles e criticando aquela com quem compete.

No caso de uma mãe de Youtuber Mirim, vai ser aquela que sempre aparece nos vídeos, e que faz a criança passar por ridículo, que ri quando a criança está em uma situação embaraçosa ou difícil e tem prazer em expor as falhas da criança, mesmo que seja para milhares de pessoas.

Infelizmente, a criança ainda não tem a capacidade de discernir essa competição, nem de compreender que mesmo que faça tudo o que a mãe narcisista lhe pede, ainda assim não será aprovada, ainda assim não será o suficiente, e que isso não é culpa dela. A criança vai então ter sua autoestima afetada, vai acreditar que ela não é boa, que ela não é capaz, que ela não é bonita e isso vai provocar feridas emocionais profundas.

O X da Questão

Entendemos então que muitos são os perigos, o que precisamos mais é estarmos atentos: proteger e não expor, cuidar e não ferir, amar e não competir e especialmente, cuidar com o que nossos filhos estão vendo nesses canais.

Existem bons conteúdos na internet sim, mas a verdade é que muitos deles são apenas para gerar lucro, perde-se a compaixão, perde-se o zelo, perde-se o bom senso e até mesmo o amor, cremos que esta não seja a diversão adequada para nossos filhos.

E se seu filho é um youtuber Mirim, acompanhe constantemente sua saúde emocional, converse, escute, importe-se e esteja verdadeiramente ao seu lado pois seu apoio é importante.

Por Grace Tomal

Comunidade Materna
Ler conteúdo completo
Indicados para você